Ao analisamos a obra de um pintor ou escultor não podemos cingir-nos apenas ao que vemos estampado nas suas obras. A vivência mundana de Carlos Montes e o panorama de injustiça social em plena ditadura que o rodeava serviram de inspiração ao seu trabalho criativo. E toda a sua obra denuncia bem um pintor com sede de liberdade e de harmonia.

O espólio que deixou inclui mais de 200 quadros e esculturas, espalhado por variadíssimos locais e colecções particulares, concentrado-se parte significativa em Beja, na posse da sua esposa e filhas.

A Câmara Municipal de Beja prestou-lhe uma merecida homenagem, em Setembro de 1988, com uma exposição na Galeria Escudeiros, mas que de pouco serviu para retirar o pintor do esquecimento em que se encontra injustamente.

Do que aqui publiquei muito fica para mostrar. Mas o meu objectivo é dar a conhecer um pouco da sua obra e lançar o repto para que o seu trabalho seja cada vez mais divulgado.

As notas que acompanham as imagens de Carlos Montes são citações retiradas de artigos publicados sobre a sua obra.

Uma nota de agradecimento a todos os que colaboraram neste blog.


"Onde quer que agora se encontre, Carlos Montes está de
parabéns por tudo quanto nos legou".

1931-1974

1931-1974
Carlos Montes dos Anjos

O descanso

O descanso
"Trilhando obstáculos dentro de uma linha de puro autodidatismo"

"Pintava por instisfação."

"Pintou em pastel, óleo e esmalte."

"Em pouco mais de uma década trabalhou muito e chegou a ensaiar procedimentos expressivos e estilícos tão variados que nos surpreendem e chocam."

segunda-feira, 14 de janeiro de 2008

Deixe a sua opinião sobre a este blogue.

Carlos Montes